Browsing this web site you accept techinical and statistical cookies. close [ more info ]

Uma janela sobre as cidades do Brasil_Mareggi

A CIDADE DISPERSA NO BRASIL. O CASO DE SÃO LUÍS, MARANHÃO

Marluce Wall

 English Version
 Italian Version


O foco do presente estudo é a expansão urbana de uma cidade do Nordeste brasileiro nos anos 1970. Um processo que despertou questões sobre continuidade e descontinuidade no processo de construção da forma urbana de São Luís. Desde o processo de modernização, as duas lógicas, a da cidade compacta e a da cidade dispersa estão presentes na São Luís Contemporânea. O Centro Histórico orgulhosamente assumiu sua condição de Cidade Patrimônio da Humanidade (Unesco). Ao mesmo tempo, a cidade dispersa se desenvolve em um espaço segregado, apresentando novos enclaves residenciais, condomínios residenciais fechados que são isolados, garantindo a segurança atrás de muros e cercas elétricas.
A cidade, nascida em 1612, manteve o seu desenho original do século XVII, de quadras regulares em uma grade reticulada, um padrão que criou um tecido urbano compacto e contínuo (Fig. 1, 2 e 3).



Esta lógica prevaleceu até o processo de urbanização, nos anos 1970, um processo que fez a cidade se espalhar ao longo de terras não urbanizadas, criando largas áreas de produção residencial, bem como uma área portuária e industrial. Desde então, a lógica da produção do novo espaço urbano foi orientada e dominada por uma rede moderna de avenidas de alta velocidade, as novas áreas residenciais distribuídas dispersamente ao longo desta extensa rede viária. Desde este momento a expansão urbana adotou o padrão de uma cidade dispersa. 

 

REFERÊNCIAS
• Burnett C.F.L., Além do Rio Anil. Urbanização e desenvolvimento sustentável: a sustentabilidade dos tipos de urbanização em São Luís do Maranhão, Universidade Estadual do Maranhão, Uema, São Luís, 2008. 
Fishman R., Bourgeois utopias. The rise and fall of suburbia, Basic Books, Lexington, 1987. 
• 
Lefebvre H., The production of space, Blackwell, Massachusetts, 1998; ed. VIII. 
• 
Mesquita R.R., Plano de expansão da cidade de São Luís, São Luís, 1958. 
• 
Reis Filho N.G., Notas sobre urbanização dispersa e novas formas de tecido urbano, Via das Artes, São Paulo, 2006. 
• 
Ribeiro Junior J.R.B., Formação do espaço urbano de São Luís: 1612-1991, Edições Func, São Luís , 1999. 
• 
Secchi B., Primeira lição de urbanismo, Perspectiva, São Paulo, 2006. 
• 
Secchi B., A cidade do século XX, Perspectiva, São Paulo, 2010. 
• 
Villaça F., Espaço intra-urbano do Brasil, Studio Nobel, Fapesp, Lincoln Institute, São Paulo, 1998.


Marluce Wall, Doutorado em Urbanismo no Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PROURB- -FAU/UFRJ), mestrado em Desenvolvimento Urbano pela Universidade Federal de Pernambuco (MDU/UFPE), graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atualmente é professora da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Ocupa o cargo de Diretora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da UEMA. Participa da Coordenação e da Comissão Pedagógica do Atelier de Criação Urbana Equinox. Ela trabalha principalmente nos seguintes temas: praxis de concepção projetual colaborativa, habitar urbano e diversidade so- cioespacial, conservação urbana, teorias do urbanismo, história da cidade e história do urbanismo.


UMA JANELA SOBRE AS CIDADES DO BRASIL
Resenha periódica da revista Planum. The Journal of Urbanism | www.planum.net 
CREDITS
• Marco Mareggi | Responsável da resenha periódica
• Luca Lazzarini | Revisor de texto em inglês 
• Talita Amaral Medina | Revisor de texto em português
• Cecilia Saibene | Lay-out

Para enviar propostas de artigos e contribuições para a resenha periódica, escreva a: 
Marco Mareggi: marco.mareggi@polimi.it 
Planum Editorial Staff: planum.magazine@gmail.com


Fig. 1_Marluce Wall Fig. 2_Marluce Wall Fig. 3_Marluce Wall Fig. 4_Marluce Wall Fig. 5_Marluce Wall Fig. 6_Marluce Wall Fig. 7_Marluce Wall Fig. 8_Marluce Wall